Política Externa Brasileira

Ementa:

Análise da política externa brasileira, ressaltando-se os aspectos políticos -mais que históricos -de sua formulação, do início da República à década atual, centrada nas percepções do interesse nacional e situada nos contextos mundial e regional. Rio Branco e a americanização da Política Externa. As práticas de alinhamento e de barganha. O processo de universalização através da Política Externa Independente e do Pragmatismo. A inserção internacional após a Nova República. Possibilidades e limites atuais da inserção internacional do Brasil.

 

CONTEÚDO BÁSICO

I -A política exterior da Primeira República (1889-1930)
1. As grandes linhas da política externa do Império
2. O advento da República e a reorientação da política externa
3. Auge da república oligárquica: o período Rio Branco
4. O Brasil e a Primeira Guerra Mundial
5. O período de entre guerras

II - De Vargas ao início do período militar (1930-1964)
1. Vargas e a nova percepção do interesse nacional
2. Dutra e o alinhamento na guerra fria
3. JK e o início da diplomacia brasileira contemporânea
4. O nacional-populismo: a Política Externa Independente

III -O período militar (1964-1985)
1. O alinhamento automático
2. A diplomacia da prosperidade
3. A diplomacia do interesse nacional
4. O pragmatismo responsável
5 O pragmatismo ecumênico

IV -A política externa dos anos 90 e a inserção brasileira
1. A política externa em um mundo globalizado
2. O Brasil e os blocos regionais
3. O Brasil e as instituições multilaterais
4. A diplomacia presidencial
5. A agenda brasileira no início do novo século

Bibliografia:

ARBILLA, José Maria. Arranjos Institucionais e Mudança Conceitual nas Políticas Externas Argentina e Brasileira (1989-1994). Contexto Internacional, v.22, n.2, julho/dezembro 2000.

BARRETO, Fernando de Mello. Os sucessores do Barão: 1964-1985. São Paulo: Paz e Terra, 2006, p. 111-160.

BOITO JR., Armando e BERRINGER, Tatiana. Brasil: classes sociais, neodesenvolvimentismo e política externa nos governos Lula e Dilma. Rev. Sociol. Polit., vol. 21, n.47, 2013.

CAMARGO, Sônia de. Autoritarismo e democracia na Argentina e Brasil, São Paulo, Editora Convívio, 1988, p. 123-188.

CASON, Jeffrey W. e POWER, Timothy J. Presidentialization, Pluralization, and the Rollback of Itamaraty: Explaining Change in Brazilian Foreign Policy Making in the Cardoso-Lula Era. International Political Science Review, vol.30, n.2, 2009.

CERVO, Amado Luiz. Relações Internacionais do Brasil: um balanço da Era Cardoso. Revista Brasileira de Política Internacional, 45(1), 2002.

CHRISTENSEN, Steen Fryba. Brazil’s Foreign Policy Priorities. Third World Quarterly, 34(2), 2013.

FERREIRA, Oliveiros S. As Forças Armadas e a política externa, in A crise da política externa – autonomia ou subordinação? Rio de Janeiro: Editora Revan, 2001, p. 43-64.

FERREIRA, Túlio Sérgio Henriques. A ruína do consenso: a política exterior do Brasil no governo Figueiredo (de 1979 a 1985). Revista Brasileira de Política Internacional. 49 (2): 119-136, 2006.

Gerson Moura e Maria Regina Soares de Lima – Trajetória do pragmatismo: uma análise da política externa brasileira. Dados – Revista de Ciências Sociais, 25 (3): 349-363, 1982.

GRATIUS, S. e SARAIVA, M.G.. Continental Regionalism: Brazil´s Prominent Role in the Americas. CEPS Working Document, n. 374, february 2013.

GARCIA, Eugênio Vargas. O pensamento dos militares em política internacional (1961-1989), Revista Brasileira de Política Internacional. 40 (1): 18-40, 1997.

HERZ, Monica e LAGE, Victor Coutinho. A atual política nuclear brasileira. BRICS Policy Center, Policy Brief, julho 2013.

HIRST, Monica. O Programa de Integração Argentina-Brasil: concepção original e ajustes recentes. In: Pedro da M. Veiga (org.). Cone Sul: A Economia Política da Integração. Rio de Janeiro, FUNCEX, 1991.

HIRST, Monica e PINHEIRO, Leticia. A Política Externa do Brasil em Dois Tempos . Revista Brasileira de Política Internacional, 38(1), 1995.

HIRST, Monica. Aspectos conceituais e práticos da atuação do Brasil em cooperação Sul-Sul: os casos de Haiti, Bolívia e Guiné Bissau. IPEA, Texto para Discussão, 1687, 2012.

HIRST, Monica e NASSER, Reginaldo Mattar. Brazil’s involvement in peacekeeping operations : the new defence-security-foreign policy nexus. NOREF Report, setembro de 2014.

HURRELL, Andrew. Progressive Enmeshment, Hegemonic Imposition or Coercive Socialization? Understanding Policy Change in Brazil. Mimeo.

HURRELL, Andrew. Brazil and the New Global Order. Current History, 109, fevereiro 2010.

JAGUARIBE, Hélio. Introdução. In: J.A.G. Albuquerque (org.), Crescimento, modernização e política externa, Sessenta Anos de Política Externa Brasileira, volume 1, São Paulo, Cultura/USP, 1996.

LAFER, Celso. Política exterior brasileira: um balanço da década de 1970. In: Paradoxos e possibilidades, Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1982, p. 151-175.

LESSA, Antônio Carlos Moraes. Instabilidades e mudanças: os condicionantes históricos da política externa brasileira sob Geisel (1974-1979). Revista de Informação Legislativa, Brasília, Senado Federal, ano 34, n º 133, jan/mar 1997, p. 73-81.

LIMA, Maria Regina Soares de. Relações Interamericanas: A Nova Agenda Sul-Americana e o Brasil. Lua Nova, 90, 2013.

LIMA, Maria Regina Soares de. Ejes analíticos y conflicto de paradigmas en la política exterior brasileña. America Latina/Internacional, v.1, n.2, outono-inverno 1994.

MARTINS, Carlos Estevam. A evolução da política externa brasileira na década 64-74. Estudos CEBRAP (12): 53-98, abril-maio-junho 1975.

MARTINS, Carlos Estevam. Brasil-Estados Unidos: dos 60 aos 70. Cadernos Cebrap (9), 1975.

MAYOR, Luiz Augusto P. Souto. O pragmatismo responsável. In: José Augusto Guilhon Albuquerque (org.) – Crescimento, modernização e política externa, Sessenta Anos de política externa brasileira 1930-1990, São Paulo: Cultura Editores Associados, 1996, vol. 1, p. 337-360.

MELLO, Flavia de Campos. A Política Externa Brasileira e os Blocos Internacionais. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, Fundação SEADE, v.16, n.2, 2002.

NARLIKAR, Amrita. Brazil: Does Being not Feared Make One Loved? In: Amrita Narlikar, New Powers – How to Become One and How to Manage Them, Nova York, Hurst & Co Publishers, 2010.

PINHEIRO, Letícia. A omissão pragmática: a diplomacia brasileira na guerra das Malvinas. Política e Estratégia, IV (4): 587-604, outubro-dezembro 1986.

PINHEIRO, Letícia. Unidades de decisão e processo de formulação de política externa durante o regime militar, in Jose Augusto Guilhon Albuquerque (org.)– Prioridades, atores e políticas – Sessenta anos de política externa brasileira 1930-1990, São Paulo: NUPRI/USP, 2000, vol. 4 – p. 449-474. 

PINHEIRO, Leticia e MILANI, Carlos R. S.. Conclusão. In: Leticia Pinheiro e Carlos R. S. Milani (orgs.). Política Externa Brasileira: As práticas da política e a política das práticas. Rio de Janeiro, FGV, 2012.

RICUPERO, Rubens. O Brasil, a América Latina e os EUA desde 1930: 60 anos de uma relação triangular. In: J.A.G. Albuquerque (org.), Crescimento, modernização e política externa, Sessenta Anos de Política Externa Brasileira, volume 1, São Paulo, Cultura/USP, 1996.

SALOMÓN, Mónica. A dimensão subnacional da política externa brasileira: determinantes, conteúdos, perspectivas. In: Leticia Pinheiro e Carlos R. S. Milani (orgs.). Política Externa Brasileira: As práticas da política e a política das práticas. Rio de Janeiro, FGV, 2012.

SANTANA, Helton R. Presto. Grupos de Interesse e a Política Externa Brasileira para a ALCA. Contexto Internacional, v. 23, n.1, janeiro/junho 2001.

SARAIVA, M.G. Balanço da Política Externa de Dilma Rousseff: Perspectivas Futuras?. Relações Internacionais, n. 44, dezembro 2014.

SATO, Eiiti. 40 anos de política externa brasileira, 1958-1998: três inflexões. Revista Brasileira de Política Internacional, 41, numero especial “40 anos”, p. 8-28, 1998.

SEABRA, Pedro. A Harder Edge: reframing Brazil’s power relation with Africa. Revista Brasileira de Política Internacional, 57(1), 2014.

SILVA, André Luiz Reis. Os condicionamentos internos e externos na formulação da política externa do Governo Castelo Branco. In: A diplomacia brasileira entre a segurança e o desenvolvimento. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2004, p. 29-48.

SIMÕES, Gustavo da Frota. Turbulência política interna e política externa durante o governo Castello Branco (1964-1967). Dissertação de mestrado em Relações Internacionais, Brasília, UnB, 2010, digitalizada.

SOUTO, Cíntia Vieira. O projeto político-econômico interno e a diplomacia do interesse nacional. In: A diplomacia do interesse nacional – a política do Governo Médici, Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003, p.14-37.

SOUTO, Cíntia Vieira. A política externa do governo Médici (1969-1974): uma nova proposta de inserção internacional para o Brasil. Cena Internacional, Brasília, UnB, 2001.

SOUZA, Rodrigo do Amaral. Da política externa independente à política interdependente: o governo Castello Branco. In Sergio França Danese (org.). Ensaios de História Diplomática do Brasil (1930-1986). Brasília: FUNAG, 1989, p. 89-100.

SPEKTOR, Matias. O Brasil e a Argentina entre a cordialidade oficial e o projeto de integração: a política externa do governo de Ernesto Geisel (1974-1979). Revista Brasileira de Política Internacional, 45 (1): 117-145, 2002.

STOLTE, Christina. Brazil’s South-South Cooperation with Africa 2003-2013: a decade of Brazilian outreach towards its Atlantic neighbourhood. CEBRI Artigos, Vol.2, Ano 9, 2014.

SUMMA, Renata de Figueiredo. Une amitié calculée. Les relations entre les États Unis et le Brésil durant les dix premières années de La dictature militaire (1964-1974). Paris: Institut d’Études Politiques/Sciences Po. Mestrado em Relações Internacionais, 2009.

TEIXEIRA, Ivana Pedroso. A dinâmica interna e a diplomacia do universalismo, in Universalismo diante da possibilidade européia –A política externa do governo Figueiredo (1979-1985). Itajaí: Editora da Univali, 2002, p. 31-79.

TEIXEIRA, C.G.P. Brazil and the Institutionalization of South America: from hemispheric estrangement to cooperative hegemony. Revista Brasileira de Política Internacional, 54(2), 2011.

TUSSIE, Diana. Os imperativos do Brasil no desafiador espaço regional da América do Sul: uma visão da economia política internacional. Lua Nova, 90, 2013.

URT, João Nackle Urt. Construção de confiança na América do Sul - A política externa do governo Figueiredo (1979-1985). Dissertação de Mestrado em Relações Internacionais, UnB, 2009, digitalizada.

VIGEVANI, Tullo e CEPALUNI, Gabriel. A Política Externa de Lula da Silva: A Estratégia da Autonomia pela Diversificação. Contexto Internacional, vol.29, n.2, julho/dezembro 2007.

LOCALIZAÇÃO

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas

UNESP - UNICAMP - PUC-SP
Praça da Sé, 108 - 3º Andar - Sé - São Paulo - SP - CEP: 01001-900
Telefone: (11) 3116-1770 / (11) 3116-1780 

E-mail: relinter@unesp.br

© 2020 San Tiago Dantas