Teoria política

Ementa:

A disciplina privilegia uma agenda tópica de teoria política. Propõe-se a criar condições para que reflita criticamente sobre a ordem política e para que se dialogue com algumas das principais tradições do pensamento político -- caminho que se supõe básico para a análise das relações internacionais. Seu pano de fundo está constituído pelo reconhecimento de que toda experiência social teoriza sobre si mesma e é em alguma medida construída por esta teorização, especialmente no que diz respeito à sua constituição como comunidade política. Teorias, portanto, não são meras “reações”, mas elementos ativos do processo de autoconhecimento das sociedades e da dinâmica da interação política e social. Os temas propostos serão tratados tendo alguns autores clássicos como referência, mas a discussão não pretende se concentrar neles e sim nos problemas e conceitos por eles teorizados, buscando ver em que medida as abordagens feitas permanecem a nos oferecer perspectivas para a explicação dos problemas políticos e o entendimento dos embates ideológicos contemporâneos. O suposto, aqui, é que existem temas e problemas universais na reflexão sobre a política e do recorrente exame destes temas ao longo do tempo nascem os conceitos que integram o universo político. Pensar em termos de teoria política é em boa medida fazer filosofia política. Passa tanto pela preocupação de examinar a “essência” da política (em que medida ela é autônoma perante a moral e o direito, por exemplo), quanto pela tentativa de responder à questão de qual seria a melhor forma de governo (a melhor República) e de quais seriam os fundamentos do Estado ou da legitimidade do poder político.

1. Poder político: problema e solução

2. A política como conquista, organização e governo de Estados

3. Príncipes, povos e massas. Líderes e tipos de liderança

4. Liberdade, direitos, cidadania

5. Pactos, acordos, contrato social

6. Representação e participação

7. Democracia

8. Reforma e revolução: o problema da mudança política

9. Partidos políticos

10. Burocracia e organização

11. Estado, governo, poderes invisíveis. O “Estado duplo”

12. Ditadura

13. Hegemonia

14. Sociedade civil

Bibliografia:

ARMITAGE, D. Foundations of Modern International Thought. Cambridge University Press, 2012.

ARON, R. As etapas do pensamento sociológico. São Paulo: Martins Fontes, 1995.

BARBER, B. Strong democracy: participatory politics for a new age. Berkeley: University of California Press.

BAUMAN, Z. Em busca da política. Rio de Janeiro, Zahar, 2000.

BECK, U. Liberdade ou capitalismo? São Paulo, Editora UNESP, 2003. ------------. Democracia global. La política más allá del Estado Nación. Metapolítica, vol. 5, nº 18, 2001, p. 66-71.

BENDIX, Reinhard. Construção nacional e cidadania. São Paulo: Editora da USP, 1996.

BERLIN, I. Dois conceitos de Liberdade. In Estudos sobre a humanidade: uma antologia de ensaios. São Paulo, Companhia das Letras, 2002.

BOBBIO, N. Teoria geral da política. A filosofia política e as lições dos clássicos. Rio de Janeiro, Campus, 2000 -----------. O futuro da democracia. 7ª ed. São Paulo, Paz e Terra, 2000. -----------. Estado, Governo, Sociedade. Para uma Teoria Geral da Política. 14ª ed. São Paulo, Paz e Terra, 2007. -----------. Ensaios sobre Gramsci e o conceito de sociedade civil. São Paulo, Paz e Terra, 1999. -----------. A Era dos Direitos. Rio de Janeiro, Campus, 2004.

CAMPS, Victoria. Paradojas del individualismo. Barcelona, Editorial Critica, 1999.

CERRONI, U. Política. São Paulo: Editora Brasiliense, 1993. -----------. Teoria do partido político. São Paulo, Ciências Humanas, 1977.

COHEN, J. & ARATO, A. Sociedad civil y teoría política. México, Fondo de Cultura Económica, 2000.

CORTINA, Adela. Cidadãos do Mundo – para uma teoria da cidadania. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

COUTINHO, C. N. Gramsci. Um estudo sobre seu pensamento político. RJ, Civilização Brasileira, 1999. -----------. A Democracia Como Valor Universal. Encontros com a Civilização Brasileira, vol. 9, 1979, p. 33-47.

DAHL, R. Sobre a democracia. Brasilia, Editora UnB, 2001. -----------. Poliarquia. Participação e oposição. São Paulo, EDUSP, 1997.

DOWNS, A. Uma teoria econômica da democracia. São Paulo: Edusp, 1999. Parte I, pp. 25-94.

DUVERGER, M. Os regimes políticos. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1962.

FERREIRA, Oliveiros. Os 45 cavaleiros húngaros: uma leitura dos Cadernos de Gramsci. SP, Hucitec, 1986.

GRAMSCI, A. Cadernos do Cárcere. 6 vol. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999-2001.

HABERMAS. A constelação pós-nacional. Ensaios políticos. São Paulo, Littera Mundi, 2001. -----------. Direito e Democracia. Entre facticidade e validade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997.

HARDT & NEGRI. Império. Rio de Janeiro, Record, 2001.

HELD, D. Modelos de democracia. Madrid, Alianza Editorial.

HIRST, P. A democracia representativa e seus limites. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1993.

HOBBES. Leviatã, ou Matéria, Forma e Poder de um Estado Eclesiástico e Civil [1651]. São Paulo: Editora Abril (Os pensadores), 1974.

KANOUSSI, Dora. Notas sobre el maquiavelismo contemporáneo. Puebla, LunArena Editorial, 2012.

KYMLICKA, W. Filosofia Política Contemporánea. Uma introducción. Barcelona, Ariel, 1995.

KYMLICKA & NORMAN. El retorno del ciudadano. Una revisión de la producción reciente en teoría de la ciudadanía. Agora, núm. 7/invierno de 1997, pags. 5-42.

LASKI, H. O liberalismo europeu. São Paulo: Mestre Jou, 1973.

LEBRUN, G. O que é poder. 14ª ed. São Paulo, Brasiliense, 1994.

LIJPHART, Arend. Modelos de Democracia. Civilização Brasileira, 2003.

LOCKE. “Segundo tratado”: In: Dois tratados sobre o governo. São Paulo, Martins Fontes, 2005.

LOSURDO, D. Hegel, Marx e a Tradição Liberal: Liberdade, Igualdade, Estado. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

MACPHERSON. La Teoría Política del Individualismo Posesivo. De Hobbes a Locke. Madrid, Editorial Trotta, 2005.

MANIN, B. As metamorfoses do governo representativo. Revista Brasileira de Ciências Sociais, nº 29, 1995.

MAQUIAVEL. O príncipe [1513-1515]. São Paulo, Martins Fontes, 1993. ------------. Comentários sobre a primeira década de Tito Lívio. 3ª ed. Brasília, Editora UnB, 1994.

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de Janeiro: Zahar, 1977.

MARX & ENGELS . Manifesto do Partido Comunista. Petrópolis: Vozes, 1988. ------------. A Ideologia Alemã. Parte I - Feuerbach. [1845]. 4ª ed. São Paulo, Hucitec, 1984.

MARX. O Dezoito Brumário de Luís Bonaparte (1851). São Paulo, Editora Abril (Os pensadores), 1974.

MICHELS, R. Sociologia dos partidos políticos. Brasília, Editora UnB, 1982.

MILIBAND, R. O Estado na sociedade capitalista. Rio de Janeiro, Zahar, 1986.

MONTESQUIEU. Do espírito das leis. São Paulo, Abril Cultural, 1973. (Coleção Os Pensadores). (Livros 1º. a 3º.; Livro 4º. cap.I-V; Livro 5º.; Livro 8º.; Livro 11º.; cap.I-VII; Livro 12º. cap.III; Livro 19º. cap.I-VI, XXI-XXVII).

NAIM, M. O fim do poder. São Paulo, Leya, 2013. NEGRI, A. O poder constituinte. Ensaio sobre as alternativas da modernidade. Rio de Janeiro, DP&A, 2002.

NOGUEIRA, Marco A. Sociedade civil, do político-estatal ao universo gerencial. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 18, nº 52, 2003, p. 185-202. ------------. Em defesa da política. 2ª ed. SP, Editora Senac, 2005. ------------. Potência, limites e seduções do poder. SP, Editora Unesp, 2008.

PATEMAN, Carole. Participação e teoria democrática. São Paulo: Paz e Terra, 1992. Caps. 1 e 2.

PRZEWORSKI, A. Capitalismo e social-democracia. São Paulo, Companhia das Letras, 1989.

POGGI, G. A evolução do Estado Moderno. Uma introdução sociológica. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

POLANYI. A grande transformação. 2ª ed. Rio de Janeiro: Campus, 2000.

ROSANVALLON, P. A crise do Estado-providência. Goiânia: Editora da UFG, 1997.

ROUSSEAU. Do Contrato Social [1757]. São Paulo, Companhia das Letras, 2011. (Livros 1-4). ------------. Discurso sobre a origem e os fundamentos da desigualdade entre os homens (1754). São Paulo: Editora Abril (Os pensadores), 1983.

SARTORI, G. A Teoria da Democracia Revisitada. São Paulo, Ática, 1994.

SCHUMPETER, J. A. Capitalismo, Socialismo e Democracia. RJ, Fundo de Cultura. Caps. 20-23.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento politico moderno. São Paulo, Companhia das Letras, 1999.

TOURAINE, Alain. O que é a democracia? 2a edição. Vozes, 1996.

WEBER, M. A política como vocação. In: Ciência e Política: Duas Vocações. São Paulo, Cultrix, 1993. ------------. Economia e Sociedade. Brasília, Editora UNB, 1994, 2 volumes. ------------. Parlamentarismo e governo na Alemanha reordenada. Petrópolis, Vozes, 1993.

WEFFORT, F. Os clássicos da política. São Paulo, Editora Ática, 2000, 2 vol.

WOLFE, A. I confini dela legittiazione. Le contraddizioni politiche del capitalismo contemporâneo. Bari, De Donato, 1981.

LOCALIZAÇÃO

Programa de Pós-Graduação em Relações Internacionais San Tiago Dantas

UNESP - UNICAMP - PUC-SP
Praça da Sé, 108 - 3º Andar - Sé - São Paulo - SP - CEP: 01001-900
Telefone: (11) 3116-1770 / (11) 3116-1780 

E-mail: relinter@unesp.br

© 2020 San Tiago Dantas